SUBSTITUIÇÃO DE ÁRVORES DE FRUTO

Este inverno arranquei várias árvores de fruto do meu pomar. Elas produziam fruta em abundância e resolvi substitui-las por outras que não sei se vão produzir alguma coisa.

Este parágrafo introdutório pode parecer indicar uma ação estúpida. Arrancar árvores que dão fruta para as trocar por outras que não se sabe se vão produzir, pode parecer estranho e ser um caso que exige uma boa justificação.

Recorri ao auxílio da moto-enxada para arrancar as árvores.
Claro que eu não iria arrancar árvores produtivas e substituí-las por outras se não fosse por um bom motivo. Arranquei três pessegueiros, uma ameixeira e uma romãzeira, mas esta última foi para a mudar de local. Estive também tentado a arrancar uma macieira, mas essa operação foi, para já adiada. O motivo, quanto aos pessegueiros é muito simples: é verdade que os pessegueiros davam muita fruta, mas infelizmente e por muitos tratamento que lhes desse, era muito difícil conseguir aproveitar alguma peça de fruta. Os pêssegos enchiam-se de bichos e começavam a cair da árvore quando ainda não estavam completamente maduros. Causava algum desespero ver o chão coberto de pêssegos completamente inaproveitáveis, depois de muito trabalho e dinheiro gasto na aplicação de produtos nocivos e ainda por cima completamente ineficazes.

A MENINA PEDREIRA


No Youtube é possível encontrar vídeos que tratam dos mais variados assuntos. Em muitos desses vídeos encontram-se pessoas simplesmente a falar sobre coisas ridículas, ou até absurdas e ficamos espantados com a enorme quantidade de visualizações e seguidores que têm, mas felizmente também é possível encontrar vídeos muito bons, que ensinam as pessoas a fazer coisas úteis e que têm, esses sim, o merecido sucesso.

CRIAÇÃO DE PORCOS EM REGIÕES TROPICAIS

Foto Pixabay

Dado o interesse suscitado pelo artigo deste blog com o título Construção de uma pocilga, que conta já com quase 20.000 visualizações, resolvi incorporar nesta página o livro Criação de porcos em regiões tropicais. Este livro inicia-se com o capítulo dedicado aos Sistemas suinícolas, onde são tratados os assuntos relacionados com criação ao ar livre e criação intensiva e semi-intensiva. Seguindo-se o Alojamento, a Reprodução dos suínos, a Nutrição, as Doenças e sua prevenção e terminando com a Gestão e aspectos económicos, este livro pode ser, sem dúvida, um ótimo guia para quem pretenda iniciar a sua criação de porcos ou, simplesmente, saber algo mais sobre essa atividade.

BOMBA EÓLICA CASEIRA - Engrenagens da transmissão

Normalmente os cata-ventos de eixo horizontal têm duas partes móveis: A roda ou turbina gira em torno de um eixo horizontal e tem que também circular lateralmente sobre um eixo vertical de modo a que possa estar sempre de frente para o vento. Assim é possível obter o máximo rendimento da turbina, independentemente da direção do vento. É isto que torna complicado utilizar um cata-vento para bombear água através de uma bomba de corda. Com um cata-vento de eixo vertical esse problema não se coloca, mas a velocidade e força da turbina são muito menores e isso foi a justificação que encontrei para entrar na aventura de construir umas engrenagens para conseguir uma transmissão que permitisse que o cata-vento de eixo horizontal rodasse lateralmente mantendo a roda que faz a transmissão fixa. Tomei essa decisão depois de ter feito algumas experiências com um cata-vento de eixo vertical, que funcionou muito bem durante algum tempo. O grande problema é que eram precisos ventos muito fortes para que a turbina atingisse velocidade suficiente para elevar alguma água.