CONSTRUIR A PRÓPRIA CASA - Construção de uma escada exterior em caracol

Hoje, vou falar de mais um pequeno trabalho de construção civil que realizei, utilizando técnicas próprias, imaginado de forma a ficar o mais económico possível, mas seguro e durável. Trata-se de uma escada exterior em caracol, com treze degraus, que fiz para dar acesso a um terraço e que ficou com um aspecto arquitectónico que considero agradável.

Esta escada, apesar da sua forma complexa, não é difícil de fazer nem fica muito dispendiosa, se não fizermos contas à mão-de-obra, como é evidente, porque na verdade dá bastante trabalho. Do material que utilizei, o tubo de fibrocimento para formar o pilar é que foi um pouco mais dispendioso, o que fez encarecer um pouco mais a obra. Deveria ter considerado a utilização de outro tipo de tubo, mais barato, mas quando o comprei não me informei primeiro do preço e possivelmente existirão outros, talvez de plástico, que poderão ficar mais em conta e servir para o fim em vista.

Vista geral da escada

Fiz o pré-fabrico dos degraus, utilizando um molde de madeira preparado para o efeito, sendo em forma de cunha com a ponta exterior em redondo que enchi com betão composto de uma parte de cimento, duas de areia e uma de brita miúda, formando assim uma argamassa forte. Da parte mais estreita do degrau, que ficou enfiada na coluna da escada, saíam três ferros de 10 mm que faziam parte da armação do degrau e que iriam fazer com que este se fundisse na argamassa do pilar. Para a construção desse pilar utilizei, como já disse, um tubo de fibrocimento, com 25 cm de diâmetro, onde fiz as aberturas nas medidas e locais devidos e depois apontaram as pontas de ferro dos degraus. As aberturas no tubo têm de ser feitas separadas por uma distância equivalente à divisão da distância do solo ao patamar, pelo número de degraus, para que estes fiquem separados uns dos outros, todos pela mesma medida, que não deverá ultrapassar os 20 cm. As medidas que adoptei para os degraus foram: comprimento 65 cm; parte mais larga 38 cm; parte mais estreita 14 cm; espessura na parte mais estreita 8 cm; espessura na parte mais larga 6 cm. Depois do tubo assente e chumbado numa pequena sapata, com uma armação em ferro no seu interior e devidamente aprumado, apoiei as pontas dos degraus nas aberturas do tubo que depois de devidamente nivelados e na posição correcta, foram escorados e imobilizados de maneira a não se moverem quando fizesse o enchimento do pilar. O último degrau transformou-se num patamar que ligou a escada ao terraço, passando a ficar a partir daqui com um óptimo acesso ao mesmo. Mas esta escada carecia de um corrimão e foi aqui que recorri novamente à minha capacidade de imaginação para evitar a encomenda de um em ferro, que dada a configuração da escada iria certamente ficar bastante caro, tendo recorrido então ao seguinte estratagema:

Na ponta exterior dos degraus da escada já tinha deixado um orifício que iria servir para chumbar os ferros verticais do corrimão, o que fiz servindo-me de ferros tubulares de 2,5 cm de diâmetro, que foram cheios com massa forte de cimento e areia e do qual saía uma ponta de 3 cm de ferro de 8 mm. Depois comprei alguns metros de tubo de plástico preto, com 50 mm de diâmetro, que coloquei em cima dos ferros verticais, já na forma desejada, tendo feito a marcação do sitio onde as pontas de ferro de 8 mm iriam entrar no tubo de plástico, que furei servindo-me de uma broca com o mesmo diâmetro. Após isto, enfiei uma vara de ferro de 8 mm no interior do tubo, que ficou com as pontas de fora cerca de 4 cm com a finalidade de ligar o corrimão ao primeiro e últimos tubos verticais que eram um pouco mais largos e mais altos, tendo de seguida tapado os furos que fizera com fita cola forte. Tapei também uma ponta deste e procedi então ao seu enchimento, utilizando uma espécie de funil, com uma massa composta de cimento e areia, após o que aproveitando a frescura da massa tratei de colocar imediatamente o tubo no sitio devido, enfiando as pontas de ferro de 8 mm nos respectivos orifícios. A partir daqui foi só esperar que a massa adquirisse resistência para ficar com um óptimo corrimão, muito seguro e também de baixo custo, isto continuando a seguir a regra de não fazer contas à mão-de-obra.

A escada vista de cima

Para quem tiver necessidade de uma escada deste tipo e tiver tempo disponível para fazer a sua construção, este método torna a sua execução mais fácil devido à inexistência de cofragens, pois para os degraus é apenas necessário fazer um ou dois moldes bastante simples, utilizando alguns bocados de madeira. Claro que para isto é necessário que se possuam alguns conhecimentos de construção, mas desde que se tenha gosto por fazer as coisas pela própria mão, tudo é possível e no fim fica sempre o orgulho e um gosto especial pela obra feita.

Comentários

  1. Amigo Alexandre.
    Quando quiser construir uma escada assim, espero contar contigo.
    Um abraço
    Victor Gil

    ResponderExcluir
  2. Caro Alexandre.
    Gostei da escada caracol e pretendo construir um no mesmo molde.
    Um abraço.
    Ademar Haruo Fujiyama

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Força nisso Ademar. Boa sorte!
      Um abraço.
      José Alexandre

      Excluir
  3. quanto custar para
    fazer uma escada dessa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei dizer com exatidão qual o custo da escada. Neste caso o que ficou mais caro foi o tubo de fibrocimento e também os ferros do corrimão, material que, em conjunto, custou tanto ou mais do que o resto. O material utilizado como: areia, cimento e ferro para a armação não é em grande quantidade e, portanto, não se gasta muito. Tudo isto é sem contar com a mão-de-obra, uma vez que a escada foi feita por mim próprio.

      Excluir

Postar um comentário