VIVER EM AUTO-SUFICIÊNCIA

John Seymour, 1914-2004
John Seymour, escritor, agricultor e ambientalista, nasceu em Londres em 1914. Ele foi um acérrimo defensor da teoria da auto-suficiência e acreditava que era possível pôr em prática essa teoria, ou seja: era possível ao ser humano, contando apenas consigo e com a natureza, atingir a auto-suficiência, ou pelo menos alcançá-la em grande parte.


O seu livro The Complete Book Of Self-Sufficiency, publicado em 1976, que foi traduzido para português com o título Guia Prático da Auto-Suficiência, é um autêntico hino à vida no campo. Nele são ensinadas praticamente todas as técnicas dos trabalhos agrícolas, mas também outras como, formas de poupar e produzir energia, trabalhar a madeira, ou fazer tijolos e telhas…

O seu livro começa assim:

“Que se pretende com este livro?
Demonstrar-lhe como é possível viver, contando exclusivamente consigo e a Natureza, com vista a atingir, na medida do possível, a auto-suficiência. Mas o que é a auto-suficiência (?) para além de uma palavra que logo provoca um brilho de incredulidade nos olhos dos leitores, tão habituados a um certo estilo de vida, que já não são capazes de distinguir a verdadeira cor do presunto ou o real sabor do pão; que se queixam do “mau cheiro” do campo, mas não se lamentam do cheiro do metropolitano nas horas de ponta, nem protestam contra os produtos químicos contidos nos alimentos que diariamente ingerem?”

Neste livro, John Seymour aponta
o caminho para a auto-suficiência
Grande parte das pessoas que vivem no campo, procuram de algum modo viver em auto-suficiência, seja praticando agricultura para consumo próprio, cozendo o seu pão, ou reparando os seus equipamentos domésticos. No entanto neste mundo em que nos inserimos e em que somos, cada vez mais, dependentes uns dos outros, a auto-suficiência completa será, verdadeiramente, impossível de atingir.

Mas John Seymour não via a auto-suficiência como um isolamento do indivíduo em relação à sociedade, pelo menos é o que se depreende das suas palavras, pois ele acreditava nesse modo de vida com a integração do indivíduo em comunidades de pessoas com a mesma filosofia de vida, em que poderia existir uma colaboração efectiva entre os seus membros, com estes a entreajudarem-se nos diversos trabalhos do dia-a-dia.

Para John Seymour a auto-suficiência não era, pois, o regresso a um passado mítico, em que as pessoas recorriam a utensílios arcaicos para arrancar a custo dos solos a sua subsistência, mas sim um modo de vida colaborante, solidário e saudável e não apenas reservado a quem possuísse alguns hectares de terreno, pois mesmo quem vivesse no seu apartamento, numa cidade qualquer, podia de algum modo praticar auto-suficiência, desde que fizesse algo por isso, como cozer o seu pão com trigo comprado aos camponeses ou que realizasse o conserto dos seus próprios sapatos, por exemplo.

Creio que há algumas décadas atrás havia muitas famílias de agricultores que viviam praticamente em auto-suficiência total, pois supriam as suas necessidades exclusivamente do que a terra produzia, mas eram tempos completamente diferentes e hoje nesta aldeia global em que vivemos seria praticamente impossível esse modo de vida. O próprio livro de John Seymour já tem algumas décadas e entretanto muita coisa mudou.

No entanto, atendendo às mudanças que se estão a verificar, a nível mundial, motivadas pela crise, ou não, nunca se sabe quando é que teremos de fazer um regresso ao passado e às origens e voltar a fazer o aproveitamento dos solos deixados ao abandono e a procurar neles, de novo, algum do nosso sustento. Já há vozes a profetizar isso mesmo e o próprio John Seymour apontou essa possibilidade no seu livro quando escreveu que: “talvez um dia sejamos todos obrigados a apostar na auto-suficiência. Quando tivermos esgotado, ou quase, todo o petróleo do nosso planeta, teremos que reconsiderar a nossa atitude em relação ao único bem verdadeiro e duradouro: a terra. Se tal ainda for possível, teremos que tirar a nossa subsistência do que a terra for capaz de produzir.”



Comentários

  1. é sempre bom saber gostei de ler este post

    Se te derem mil motivos para chorar,
    Mostre a eles que você têm mil e um motivos para sorrir!
    Tudo na vida têm os dois lados da moeda.
    Um dia choramos ... Outro dia sorrimos!
    Um dia perdemos ... Outro dia ganhamos!
    Mas pelo menos viva aquele momento!
    Ou fique apenas observando a vida passar!

    Um bom dia para si
    beijinhos
    O tempo não para, a escolha é sua!

    ResponderExcluir
  2. John Seymour é um homem de todos os tempos. Visionário, sonhador e corajoso.
    Deu à sua vida o rumo que muitos de nós não ousam tomar.
    Parabéns pelo post e pelo blog.

    ResponderExcluir
  3. Caro José Moutinho:
    Obrigado pela visita e pela participação.
    Tem toda a razão. Pela leitura do seu livro se vê que John Seymour tinha uma força interior muito grande e que lutava por aquilo em que acreditava.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Bom Dia, Gostei de ver, está de parabéns =)
    Ficaria melhor se a reflexão foi mais sua ;)

    ResponderExcluir
  5. Alguém sabe onde posso encontrar o livro, pois estou procurando em sebos e ainda não encontrei.
    Grato,

    Marco Costa

    ResponderExcluir
  6. Amigo Marco Costa:
    Pela minha parte não o posso ajudar, pois também não tenho o livro, possuo apenas fotocópias que foram tiradas de um livro também já fotocopiado.
    Os meus cumprimentos e obrigado pela visita.
    José Alexandre

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelo blog. Me ajudou muito em minha pesquisa.
    Aproveito pra deixar o link pra fazer o download do livro pelo 4shared:

    http://www.4shared.com/document/mTdphgfH/O_livro_da_auto-suficiencia.htm

    Grande Abraço,

    Marco Lobo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras e também pelo link. A finalidade do blog é essa mesmo: tentar ajudar ajudar as pessoas em suas pesquisas.
      Um grande abraço também para si.

      Excluir

Postar um comentário