JURAMENTO DE BANDEIRA DA 1ª INCORPORAÇÃO DE 1972


Já falei neste blogue sobre o 1º Juramento de Bandeira de 1972, num dos artigos que escrevi sobre a Escola de Alunos Marinheiros. Nesse artigo coloquei uma foto que não correspondia exactamente a essa cerimónia, por não ter nenhuma, mas, recentemente, a Revista da Armada disponibilizou no seu site todos os números desde o seu inicio em Julho de 1971, tendo encontrado na Revista nº 9, referente ao mês de Junho de 1972, uma pequena notícia sobre esse Juramento, acompanhada de uma foto do Batalhão em formatura. Essa imagem não engloba todos os elementos que ali estavam perfilados, nem permite distinguir ninguém, no entanto não pude deixar de sentir alguma emoção ao recordar aquele dia e saber que eu fui um dos que ali esteve.

A foto da capa dessa revista, penso que se refere ao mesmo Juramento de Bandeira e, ao lado direito do oficial, à esquerda na imagem, está o cabo FZE Nazaré, precisamente o cabo da 4ª companhia de voluntários, a minha companhia!

O cabo Nazaré é que nos dava a instrução de infantaria e Ordem Unida, precisamente as disciplinas de que eu mais gostava; o bater compassado das botas no chão da parada, ao som dos tambores e todas as ordens cumpridas em uníssono, à voz de comando ou aos toques de clarim, são recordações que ficam para sempre gravadas na memória de quem viveu esses tempos na mítica Escola de Alunos Marinheiros. Recordações da juventude perdida, quando o sonho inundava as nossas mentes de cor e fantasia.

O cabo Nazaré, apesar de muito novo, já tinha realizado uma ou mais comissões de serviço em África, o que provocava em nós sentimentos de admiração, mas também era respeitado pela sua energia e pela forma exigente, com que procurava incutir nos alunos altos valores de cidadania, o que era, aliás, comum a todos os instrutores.

Já se passaram quase quatro décadas sobre aquele dia 24 de Março de 1972 quando, como se fosse uma só, oitocentas e vinte vozes troaram na parada, proferindo a fórmula do Juramento.

O tempo corre inexorável, os locais mudam, as pessoas envelhecem, mas as memórias do passado, estão sempre jovens, não têm idade…

Visite a página Área Militar, onde estão listados os artigos referentes à Escola de Alunos Marinheiros.

Comentários

  1. É isso mesmo. As memórias estão sempre presentes e as minhas confundem-se com as vossas.
    Gostei muito do seu artigo.
    Fique bem.

    ResponderExcluir
  2. Abençoados os que possuem amigos,
    os que os têm sem pedir.
    Porque amigo não se pede,
    não se compra, nem se vende.
    Amigo a gente sente!
    Agradeço por sua amizade!
    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário