MOINHO CASEIRO PARA TRITURAR CEREAIS

Máquina para partir milho
Este ano fiz uma pequena sementeira de milho com a finalidade de ajudar à alimentação das galinhas. Agora já não se vêem como se viam antigamente as terras ocupadas com esse cereal, quando quase ninguém dispensava um forno para cozer a broa, cultivava o seu próprio milho e o mandava moer num dos muitos moinhos de vento ou de água que existiam aos milhares nas zonas rurais.

Nas aldeias, no final do verão, realizavam-se as célebres descamisadas, onde a vizinhança se juntava nos pátios ou nas eiras, à noite, à luz do candeeiro a descamisar as espigas, numa grande festa. Todos os agricultores entremeavam algum milho vermelho, também chamado de milho rei, na sementeira precisamente para que quando ao descamisar fossem aparecendo algumas dessas espigas. Quem as encontrava tinha que dar um abraço a todas as pessoas presentes e nessa altura era uma grande algazarra.

Agora, na minha aldeia, já não se fazem descamisadas e as poucas pessoas que ainda semeiam milho, desfolham as espigas no próprio milheiro deixando as capas agarradas ao canoilo, ou seja o troço que resta do milheiro. Poupa-se trabalho, porque agora já ninguém está para romantismos e o milho, com todo o trabalho que dá desde o lavrar da terra até ao armazenamento e que passa por sachas, adubação, regas, etc. etc., não me parece que dê para enriquecer ninguém. Noutros tempos, quando para além da utilização da farinha para cozer a broa, a palha era aproveitada para dar ao gado e até as capas das espigas serviam para fazer colchões, o milho tinha outra importância económica. Agora, apenas para servir de alimentação às galinhas, parece uma atividade pouco rentável.

Pode não parecer mas esta conversa sobre milho e galinhas tem muito a ver com o título deste post, que é apresentar o meu mais recente projeto caseiro e que é um pequeno moinho manual para partir milho.

É que as galinhas de agora são bastante esquisitas na alimentação. É certo que são muito produtivas, todos os dias põem um ovo cada, mas não estão para comer tudo o que lhes põem à frente. E vai daí, desconsiderando todo o trabalho que o milho me deu e em vez de ficarem gratas por isso, recusaram comê-lo, apesar do seu aspeto brilhante e apetitoso.

Tinha semeado milho miúdo com a esperança de que as galinhas comessem os grãos inteiros, mas concluí que não tinha outro remédio senão triturá-lo… – Grandes marotas – pensei em voz alta – vão-me obrigar a partir o milho. Pensam que não tenho mais nada para fazer!...

E foi assim que resolvi pôr mãos à obra para construir uma máquina para partir milho. Inicialmente pensei em fazer uma utilizando um motor de máquina de lavar roupa. Fazem-se umas máquinas excelentes, sem grandes complicações, com um desses motores, mas o facto de não ter nenhum desses motores disponíveis e principalmente porque na minha chácara não há eletricidade, resolvi fazer uma de funcionamento manual.

Num próximo post vou descrever a forma como procedi e os materiais que utilizei na construção deste moinho que é totalmente original. Nunca tinha visto nada semelhante, foi tudo imaginado por mim e deu-me bastante trabalho a fazer, principalmente porque já depois de estar pronto, algo correu mal e teve de ser modificado.

Agora parece estar bastante funcional e certamente irá atender às minhas necessidades, cumprindo a missão para que foi criado.


Fiz um pequeno vídeo mostrando o moinho em funcionamento:


Atualização em 23/10/2013:

Entretanto já fiz a modificação deste moinho, que agora é movido através de uma bicicleta a pedal, com resultados muito bons. Já escrevi um artigo sobre o assunto, acompanhado por um pequeno vídeo que pode visualizar em: Máquina de partir milho a pedal.

Comentários