Construção de um suporte para reparação de bicicletas

Enchimento da coluna do suporte de bicicletas
Por esta imagem ninguém diria que se está a fazer
um suporte para bicicletas.
Sempre reparei em casa as minhas bicicletas e as dos meus familiares e não só, pois já tenho feito alguns consertos em bicicletas de amigos que me pedem para o fazer, aliás, até já um dia estive prestes a montar uma pequena oficina, mas recuei nessa decisão por achar que não seria um negócio muito rentável. Depois de muitos anos a fazer esse trabalho achei que era tempo de ter um suporte para pendurar as bicicletas e fazer as reparações de uma forma mais cómoda, pois com a bicicleta encostada a uma parede ou a outra coisa qualquer ou mesmo no descanso (aquelas que o têm), não é muito prático, pois para alguns serviços é necessário estar agachado ou muito curvado e as bicicletas estão sempre a mover-se e também é preciso estar a virá-las de posição quando estão encostadas, para se ter acesso às partes a reparar.

Depois de ter consultado os preços de alguns suportes destinados a esse fim, cheguei à conclusão de que pelo preço de um desses instrumentos de qualidade razoável, poderia comprar uma também razoável bicicleta. Fiquei a pensar que uma bicicleta nunca vou ser capaz de construir (apesar de em criança ter tentado fazer uma de madeira), mas um suporte para as reparar com certeza que seria uma tarefa que levaria a bom porto.

Foi assim que resolvi fazer eu próprio um suporte para reparar as minhas bicicletas. A maneira como o fiz é certamente pouco usual e arrisco-me a dizer única, mas acho que o resultado final é bastante aceitável, ficando com um instrumento prático, seguro e económico, pelo que vou arriscar a ser menos modesto, trocando o aceitável por bom. Passo a explicar a forma como procedi:

É meu costume utilizar cimento para grande parte dos meus pequenos projetos caseiros, se bem que para alguns talvez existissem alternativas melhores se recorresse a um aparelho de soldar, mas mesmo assim as coisas têm resultado. Desta vez não foi diferente e, sem copiar o modelo de nenhum suporte existente no mercado, imaginei e construí este, utilizando betão, cujo inconveniente poderia ser o facto de ficar um pouco mais pesado em relação a modelos convencionais, mas esse inconveniente foi anulado ou, até, transformado em vantagem, com a utilização de rodas giratórias que permitem deslocar o instrumento, ou rodá-lo da forma que achar mais propícia para o trabalho a realizar. Para além de cimento utilizei o seguinte material:

Suporte para reparar bicicletas
O suporte pronto a ser usado.
- Um tubo de PVC com 1,20m e 90mm de diâmetro.
- Dois vasos de plástico para alargamento da base do tubo.
- Três pedaços de ferro retângular oco, para os pés.
- Um pedaço de ferro oco um pouco mais largo, para o braço do suporte.
- Um bocado de ferro das obras com 12 para ficar dentro do tubo e do cimento.
- Dez litros de areia e brita.
- Um pequeno torno de bancada
- Três rodas giratórias com travão.
- Catorze parafusos.
- Um pouco de tinta.
- Dois recipientes de um frigorífico velho, para fazer duas pequenas prateleiras para colocar pequenas peças ou ferramentas.

Todo este material era de restos das minhas obras ou proveniente de sucatas, que vou guardando, à exceção das rodas e do torno. As rodas tive que as comprar e foi o material que ficou mais dispendioso, cerca de 10 euros, porque optei por rodas de boa qualidade. Quanto ao torno trata-se de uma pequena e velha ferramenta que estava inoperacional há muito tempo, porque era demasiado frágil para serviços normais de bancada. Estava completamente enferrujada e sem utilidade nenhuma, mas vi naquele torno um ótimo préstimo para o meu suporte. Tratei de o recuperar, tendo resultado em pleno, mas primeiro tive necessidade de fazer algumas alterações na peça. Assim, retirei-lhe os mordentes e no lugar de cada um coloquei a metade de um tubo com 50mm de diâmetro, que foi revestido com borracha de modo a não causar mazelas na pintura do quadro das bicicletas.

Depois de reunido todo o material necessário fiz os buracos no tubo e num dos vasos para enfiar os pedaços de ferro oco, de modo a que ficassem com as pontas dentro, embutidas no betão. A argamassa entraria também no interior dos ferros, ajudando à sua fixação. Depois de tudo bem organizado e com o ferro das obras dentro do tubo, com este bem aprumado, enchi a coluna com betão, vibrando bem e deixando depois a secar durante três dias, após o que fiz a sua pintura e um dia mais tarde a montagem das rodas, deixando o instrumento pronto a funcionar.

Conclusão:

Suporte para reparar bicicletas
O suporte com a primeira bicicleta.
Fazer um suporte para reparação de bicicletas, afinal não é difícil nem muito dispendioso. Qualquer pessoa o faz facilmente e em vez de usar cimento, pode simplesmente soldar os ferros ao tubo que faz de coluna do aparelho, só que neste caso o tubo tem de ser de ferro, como é natural, e isso é capaz de encarecer um bocado a obra. Da maneira como o suporte foi construído o braço não é regulável em altura, mas não acho que isso seja um grande inconveniente, se houver o cuidado de o deixar à distância do chão ideal, de acordo com a altura de cada um, de modo a proporcionar a melhor posição para o trabalho. Este suporte, do chão até ao ponto de apoio do quadro, tem 1,50m, no entanto, para a minha altura que é 1,75m, teria sido melhor que ficasse com menos dez a 20cm. Depois der testar o instrumento cheguei a essa conclusão, mas já descobri a maneira, caso sinta necessidade disso, de o baixar mais ou menos nessa mesma medida, bastando para isso mudar a posição do torno rodando-o 180 graus.

Para além das fotos fiz também um pequeno vídeo de demonstração, para melhor verificação dos resultados.








Comentários