APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA PARA REGAS

Com a conclusão da minha cabana de troncos, o sistema de aproveitamento de águas da chuva da minha chácara, conta agora com mais 14 m2 de área de captação, perfazendo um total de 80 m2. Esta área, em invernos de pluviosidade normal, daria para armazenar, à vontade, mais de 100.000 litros de água, o que significa que apenas 1/5 da água que irá cair nesta área de 80 metros será aproveitada, pois os meus reservatórios apenas têm capacidade para armazenar 20.000 litros.


Todos os telhados da chácara têm caleiras que transportam a água
 para os reservatórios.


Isto são contas sem qualquer rigor, mas dá para entender que numa pequena exploração agrícola, ou numa simples horta, se não for possível obter água de outro modo, não é necessário uma grande área coberta para obter água para rega ou outros usos, desde que se tenha onde armazená-la.

De resto, eu não tinha a necessidade absoluta de aproveitar a água da minha cabana de troncos e nem tinha inicialmente intenção de o fazer, mas, pensando melhor, cheguei à conclusão que existem sempre vantagens em aproveitar a maior área de captação possível para aquelas chuvas que caem numa altura em que existe consumo de água para regas, por exemplo no final da primavera, no verão, ou no início do outono. É que nessa altura a área de captação é sempre insuficiente.


A água do telhado da cabana foi canalizada para os reservatórios, em tubos de pvc.
Mas a principal razão pela qual eu decidi colocar caleiras na cabana de troncos foi a preservação da madeira. É do conhecimento geral que a madeira em contato com a água apodrece mais rapidamente e a água dos beirais em dias de vento forte, o que na zona onde ela está ocorre com frequência no inverno, seria projetada contra as paredes da cabana, o que seria muito mau e, mesmo sem vento, as beiras ao caírem no solo iriam salpicar a base da construção, o que também seria prejudicial, mesmo tratando-se, neste caso, de uma base em pedra.

Depois de enorme trabalho que tive com a construção da cabana, justificam-se todos os esforços para que ela se conserve durante muito tempo e, impedir que a chuva atinja a madeira, é um grande passo nesse sentido.



Comentários

  1. Passei e encontrei o seu blog, estive a ver e ler algumas coisas, não li muito, porque espero voltar mais algumas vezes, mas deu para ver a sua dedicação e sempre a prendemos ao ler blogs como o seu.
    Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante,
    deixe um comentário, e se desejar fazer parte de meus amigos virtuais, esteja à vontade, irei retribuir. Mas por favor não se sinta coagido, siga apenas se desejar. Abraço. António.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, António. Obrigado pela visita e pelo comentário.
      Já visitei o seu blog, mas, sinceramente, ainda não tive tempo para ler o suficiente para deixar um comentário. Mas vou voltar brevemente.
      Abraço.

      Excluir

Postar um comentário