A HISTÓRIA DE UM AQUECEDOR SOLAR CASEIRO QUE FUNCIONA MESMO...

História do aquecedor de água solar “Joalex”

Joalex, junto ao seu aquecedor de água solar
No início do ano 2000, Joalex, um antigo pedreiro e agricultor de Portugal iniciou a construção de um inovador sistema solar térmico que aquece e conserva a água quente por vários dias. Joalex não patenteou a sua invenção e todos podem construir equipamentos semelhantes, sem qualquer problema. Este sistema, que tem o mesmo nome do seu inventor: “Joalex”, promete revolucionar o mercado dos equipamentos solares, estimando-se que venham a ser construídos a curto prazo muitos milhares de aquecedores da marca “Joalex”.

Fonte: Agência de notícias “Candeia Verde”


(Se preferir, ao invés de ler, pode escutar esta história, clicando no botão do player.)


Nota do autor:
Os leitores que acompanham os posts deste blog certamente já se aperceberam de que esta “notícia” é apenas uma brincadeira. Não que no essencial ela seja falsa, porque não é, mas que é exagerada também é uma verdade. Simplesmente, o autor do blog que sempre fala na primeira pessoa decidiu elaborar este artigo de forma um pouco diferente, tentando dar-lhe um tom de humor e sendo até irónico consigo próprio.


A partir daqui os estimados leitores deste blog ficam avisados de que o conteúdo do post é completamente original, como, aliás, o são todos os artigos aqui publicados e, descontando o exagero expressional, tudo o mais é verdadeiro…

Nos finais do século XIX, alguém ofereceu a Joalex, um coletor solar usado. Esse coletor foi apenas o princípio de uma aventura que viria a durar vários anos, protagonizada pelo inventor português.

Joalex necessitava de um depósito para armazenar e conservar a temperatura da água e imediatamente lançou mãos à obra para construir um. Depois de analisar os imensos “projetos” que a sua fértil imaginação desenhava, Joalex optou por adaptar uma velha arca frigorífica que encontrou numa lixeira, para servir como depósito solar… essa velha arca tinha a vantagem de já ter isolamento térmico, que tinha sido naturalmente projetado para conservar o frio, mas que poderia muito bem conservar também a água aquecida pelo sol. No entanto, ainda havia muito trabalho a fazer para que esse “mono” pudesse ser utilizado com êxito… Depois de algumas tentativas falhadas no sentido de a tornar impermeável, Joalex resolveu, à boa maneira de alguém que já tinha trabalhado alguns anos na construção civil, isolar o interior da arca com mosaicos e azulejos, tendo colado às paredes de alumínio daquele invulgar depósito solar, peças cerâmicas que tinham sobrado das suas obras…

Pode parecer uma obra louca e improvável, mas como de génio e louco todo o mundo tem um pouco, Joalex seguiu em frente com a sua ideia e o certo é que ela resultou em pleno, pois, a partir daí, o depósito nunca mais verteu, ficando o seu interior muito limpo e até beneficiando a conservação do calor da água…

O génio inventor ficou tão satisfeito com o sucesso desse depósito tão original, que logo resolveu preparar outro utilizando o mesmo processo, passando a procurar mais uma arca frigorífica pelas sucatas…

Joalex encontrou e preparou outra arca que colocou no terraço, ao lado da outra, mas a verdade é que só um painel era muito pouco para a capacidade dos dois depósitos que rondava os 400 litros, tendo então decidido aventurar-se na construção de um coletor solar, utilizando também, em grande parte, materiais que encontrava em sucatas e até mesmo em lixeiras. O caminho até ao sucesso na construção de um coletor foi muito difícil, tendo construído alguns que não resultaram, mas Joalex foi persistente e, finalmente, o êxito surgiu com um coletor construído em madeira e com tubagens em plástico e alumínio…

Joalex, tal como já acontecera com os depósitos, ficou tão entusiasmado com o sucesso deste painel que logo decidiu construir outro, seguindo as mesmas caraterísticas, mas aplicando-lhe uma cobertura móvel, em estores, para proteger o equipamento contra o sobreaquecimento, em caso de dias muito quentes, ou contra o congelamento nos dias mais frios de inverno.

Essa cobertura protetora, que praticamente não teve custos, pois foi tudo feito com materiais reaproveitados, ficou a funcionar tão bem que Joalex imediatamente decidiu colocar uma também no primeiro coletor que construíra, ficando assim com os dois painéis caseiros prontos para enfrentar o calor ou o frio excessivos.

Finalmente, este inventor improvável, fez uma modificação no sistema, que primeiro abastecia as torneiras por gravidade, tendo introduzido uma serpentina com 100 metros no interior dos depósitos (50 em cada depósito), o que veio fazer com que a água chegue às torneiras com mais pressão e permitindo fazer uma ligação direta ao esquentador a gás, quando a temperatura da água não é suficiente para tomar banho confortavelmente.

Claro que este equipamento, apesar de funcionar, aquecer e conservar muito bem a temperatura da água, não passa, afinal, de um “sistema solar térmico de pobre”, o próprio inventor reconhece isso, mas, porque foi construído por mão própria e com recurso a materiais reaproveitados, Joalex, esse grande inventor dos tempos modernos, tem um grande orgulho no seu invento, afirmando que o seu equipamento artesanal tem mais valor para ele do que o mais sofisticado equipamento do mercado… 


Vídeo do aquecedor de água de Joalex.

Comentários

  1. Respostas
    1. Pelo que sei sobre a legionella, creio que este sistema tem menor risco do que os aquecedores de água convencionais, uma vez que a água que é utilizada nos banhos vem diretamente da rede, sendo aquecida pela água quente dos depósitos, não existindo mistura de águas. Por outro lado os depósitos são bastante higiénicos sendo limpos periodicamente.
      Obrigado pela chamada de atenção.
      Um abraço.

      Excluir

Postar um comentário