Adaptação de um dínamo para funcionar como gerador eólico

Vídeo com o gerador em funcionamento.

Tenho estado a fazer experiências com a minha turbina eólica no sentido de encontrar um gerador capaz de produzir alguma energia a baixas rotações. Já há muito tempo que cheguei à conclusão de que o alternador de automóvel não serve, no entanto cada vez me convenço mais de que nem o alternador nem qualquer outro tipo de gerador será capaz de conseguir grandes resultados nesta, nem em qualquer outra turbina de pequenas dimensões. Segundo o que aprendi com as minhas próprias experiências no terreno, cheguei às seguintes conclusões:

1º - Qualquer tipo de gerador só produz energia em troca de um determinado esforço, que será maior quanto maior for a quantidade de energia que produz.

2º - Só é possível produzir energia com ventos razoavelmente fortes, pois a força necessária para rodar o gerador trava a turbina, sendo difícil conseguir rotações elevadas com ventos fracos e, com pouco andamento, a energia produzida é insignificante.

3º - Deste modo não adianta ter um gerador que produza muito se a turbina não tiver dimensões ou capacidade para captar o vento com eficiência de modo a fazer rodar o gerador com rotações suficientes, pois se o gerador tiver capacidade para produzir muito fica mais difícil de rodar.

4º - Não adianta fazer multiplicações de velocidade para o gerador rodar muito mais, em relação à velocidade da turbina, porque isso vai torná-la mais “pesada”. Basta verificarmos como funciona o sistema de velocidade de uma bicicleta para aferir isso.


Em face disto, concluí que a minha turbina eólica apenas conseguirá produzir uma muito pequena quantidade de energia, pelo que não merece a pena estar a aplicar-lhe um alternador modificado ou qualquer outro tipo de gerador de grande capacidade de produção, porque será simplesmente perder tempo. Assim decidi adaptar um pequeno dínamo para acoplar à minha turbina eólica, tendo feitas já as primeiras experiências, que foram bastante positivas, tendo conseguindo que este gerador produza uma pequena quantidade de energia que vou, de futuro, tentar usar para carregar uma bateria.


O dínamo desmontado para fazer a adaptação

O veio do íman foi acrescentado e  foi colocada uma pequena ventoinha para arrefecimento do dínamo

Foram colocados dois rolamentos embutidos em abraçadeiras de metal e a polia de um alternador.

O conjunto foi afixado a uma pequena placa de betão.

O dínamo pronto a ser acoplado à turbina eólica.

O gerador acoplado à turbina com uma cobertura feita de um tubo de pvc. 





Comentários